sábado, 30 de maio de 2009

Mortes prematuras


Diante de tanta polêmica, mesmo passado quase um mês do ocorrido, me pareceu apropriado abordar este tema...

Trata-se de um acidente de trânsito, ocorrido no dia 7 de maio, aqui em Curitiba, que envolveu um motorista alcoolizado, e ocasionou o falecimento de dois jovens. Estou falando do acontecimento que resultou nas trágicas mortes de Gilmar Rafael Souza Yared e Carlos Murilo de Almeida e que marcará para sempre a vida do ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli Filho.

Não cabe a este espaço discutir as questões legais do ocorrido, muito menos atribuir juízo de valor à conduta do sobrevivente. O que me leva a mencionar esta triste história, são os questionamentos que surgem quando nos deparamos com situações semelhantes a esta. Se são jovens que partem para o outro plano de forma inesperada, questionamos os desígnios de Deus... No momento em que nos deparamos com uma grande perda, o sofrimento dificulta a compreensão. Mas certo é que Deus, por ser justo, coloca em nosso caminho os percalços que são necessários à evolução espiritual. O Evangelho Segundo o Espiritismo trata do assunto em seu Capítulo V - Bem-Aventurados os Aflitos, como segue:

"Perda de pessoas amadas. Mortes prematuras

21. Quando a morte ceifa nas vossas famílias, arrebatando, sem restrições, os mais moços antes dos velhos, costumais dizer: Deus não é justo, pois sacrifica um que está forte e tem grande futuro e conserva os que já viveram longos anos cheios de decepções; pois leva os que são úteis e deixa os que para nada mais servem; pois despedaça o coração de uma mãe, privando-a da inocente criatura que era toda a sua alegria.

Humanos, é nesse ponto que precisais elevar-vos acima do terra-a-terra da vida, para compreenderdes que o bem, muitas vezes, está onde julgais ver o mal, a sábia previdência onde pensais divisar a cega fatalidade do destino. Por que haveis de avaliar a justiça divina pela vossa? Podeis supor que o Senhor dos mundos se aplique, por mero capricho, a vos infligir penas cruéis? Nada se faz sem um fim inteligente e, seja o que for que aconteça, tudo tem a sua razão de ser. Se perscrutásseis melhor todas as dores que vos advêm, nelas encontraríeis sempre a razão divina, razão regeneradora, e os vossos miseráveis interesses se tornariam de tão secundária consideração, que os atiraríeis para o último plano.

Crede-me, a morte é preferível, numa encarnação de vinte anos, a esses vergonhosos desregramentos que pungem famílias respeitáveis, dilaceram corações de mães e fazem que antes do tempo embranqueçam os cabelos dos pais. Freqüentemente, a morte prematura é um grande benefício que Deus concede àquele que se vai e que assim se preserva das misérias da vida, ou das seduções que talvez lhe acarretassem a perda. Não é vítima da fatalidade aquele que morre na flor dos anos; é que Deus julga não convir que ele permaneça por mais tempo na Terra.

É uma horrenda desgraça, dizeis, ver cortado o fio de uma vida tão prenhe de esperanças! De que esperanças falais? Das da Terra, onde o liberto houvera podido brilhar, abrir caminho e enriquecer? Sempre essa visão estreita, incapaz de elevar-se acima da matéria. Sabeis qual teria sido a sorte dessa vida, ao vosso parecer tão cheia de esperanças? Quem vos diz que ela não seria saturada de amarguras? Desdenhais então das esperanças da vida futura, ao ponto de lhe preferirdes as da vida efêmera que arrastais na Terra? Supondes então que mais vale uma posição elevada entre os homens, do que entre os Espíritos bem-aventurados?

Em vez de vos queixardes, regozijai-vos quando praz a Deus retirar deste vale de misérias um de seus filhos. Não será egoístico desejardes que ele aí continuasse para sofrer convosco? Ah! essa dor se concebe naquele que carece de fé e que vê na morte uma separação eterna. Vós, espíritas, porém, sabeis que a alma vive melhor quando desembaraçada do seu invólucro corpóreo. Mães, sabei que vossos filhos bem-amados estão perto de vós; sim, estão muito perto; seus corpos fluídicos vos envolvem, seus pensamentos vos protegem, a lembrança que deles guardais os transporta de alegria, mas também as vossas dores desarrazoadas os afligem, porque denotam falta de fé e exprimem uma revolta contra a vontade de Deus.

Vós, que compreendeis a vida espiritual, escutai as pulsações do vosso coração a chamar esses entes bem-amados e, se pedirdes a Deus que os abençoe, em vós sentireis fortes consolações, dessas que secam as lágrimas; sentireis aspirações grandiosas que vos mostrarão o porvir que o soberano Senhor prometeu. - Sanson, ex-membro da Sociedade Espírita de Paris. (1863.)"

O Evagelho Segundo o Espiritismo - Capítulo V


Peço a Deus luz no caminho dos desencarnados e paz no coração dos familiares.
Fiquem todos com Deus!

5 comentários:

Tomazina disse...

CRis, eu gosto muito do seu blog e sempre estou po aq. Deixei um selinho p vc no meu blog! Espero que vc perticipe da brincadeira.bjus

Anônimo disse...

Olá, Cris. Acabo de entrar "por acaso" em seu blog. Em abril deste ano meu irmão mais novo retornou à pátria espiritual. Sou espírita. Vivo num lar espírita desde que nasci. Mesmo assim, tenho dificuldades em aceitar a partida, ao meu ver prematura, do meu irmão. Moramos em Recife-PE, e ele foi vítima da violência urbana, tão comum em nossos dias, mas teve a oportunidade de salvar outros colegas que estavam a seu lado, no exercício do trabalho. Foi baleado e ainda viveu 25 dias, em que achamos que o pior já tinha passado. Mas, repentinamente se foi, deixando-nos inicialmente perplexos e por fim muito saudosos. Todos os dias peço muito a Deus por ele. Sinto com se tivesse perdido o meu próprio filho, quem sabe não fomos mãe e filho numa outra passagem nossa por aqui? Tenho buscado desesperadamente consolo na nossa Doutrina, tão maravilhosa. Mas a dor é tão grande que, após seis meses, acho que pouco evoluí neste sentido. Obrigada por esse cantinho, de consolo e de oportunidade de expormos nossas dificuldades. Fique com Deus.
Ana Paula. Recife - PE.

Anônimo disse...

minha netinha (filha} voltou dia 2 de novembro para a patria espiritual num acidente sei que tinha que ser assim, mas estou sofrendo muito com as saudade,sou espirita, mas doi muito a separação só me resta pedir a deus força e coragem para suportar mais essa prova
obgda pelo cantinho
darcy stefanoni valparaiso sp

Cris Marques disse...

Ana Paula e Darcy,

Agradeço visita de vocês ao meu blog.
Sei como é difícil "perder" repentinamente alguém que a gente ama. Mas lembrem que esta separação é momentânea e que tudo que vibramos em direção aos que já partiram é sentido por eles.
Recordem os bons momentos, direcionem pensamentos de alento... Se vocês sofrem, quem está distante sente e sofre também.
Deixo para vocês um trecho do livro "Violetas na Janelas", que trata da separação na visão dos que partiram.
Rogo à Deus para direcionar luz no caminhos dos seus entes queridos e reconforto para vocês duas... Fiquem com Deus!

"Vovó entrou no quarto de mansinho. Estava diferente, mais bonita, esperta e sem seus grossos óculos. Beijou-me na testa, e nos abraçamos demoradamente. Meus sentimentos naquele momento ficaram confusos. Senti alegria em vê-la, mas, também tive a certeza de que eu realmente tinha desencarnado. Senti um vazio e um ligeiro medo. Percebendo, vovó sentou-se ao meu lado, no leito. Sorriu feliz e disse :
_ Patrícia, aqui é lindo! Logo poderei mostrar-lhe lugares maravilhosos. Você está tão bem! Tão linda! Necessita de alguma coisa? Quer que lhe faça algo? Você...
_ Vovó - interrompi - como está mamãe? Papai? Juninho? Carla e o nenê?
_ Estão bem. São espíritas. O espiritismo dá aos encarnados o entendimento da morte do corpo, e, assim, eles compreenderam os acontecimentos e sabem que o seu desencarne lhe trará muitas felicidades. Juninho está bem, e Carla também, irá ter um belo menino. Seu pai é firme como rocha e o seu saber é o leme a dirigir o barco do seu lar.
_ Vovó, eles não sentiram o meu desencarne?
_ Sentiram. Claro que todos sofrem com sua ausência e se ajudam mutuamente com muita compreensão. Fazem de tudo para mandar a você o carinho e o amor que sentem. Um dia vocês irão se encontrar, como agora se encontra comigo. Verá que nunca estiveram separados, porque o amor une."

Anônimo disse...

ACHO MUITO INTERESSANTE ESTE ASSUNTO, SOU EVANGÉLICA, E A POUCO MEU FILHO SOFREU UM ACIDENTE DE MOTO E TENDO MORTE ESTANTANIA, ACREDITO MUITO EM OUTRA VIDA Após morte. queria saber se ele esta ciente do que aconteceu com ele. peço a Deus todos os dias para encaminhar seu espirito para a luz do eterno Deus.