domingo, 26 de novembro de 2006

A lei do retorno

"O pequeno Zeca entra em casa, após a aula, batendo forte os seus pés no assoalho da casa. Seu pai, que estava indo para o quintal para fazer alguns serviços na horta, ao ver aquilo chama o menino para uma conversa. Zeca, de oito anos de idade, o acompanha desconfiado. Antes que seu pai dissesse alguma coisa, fala irritado:
- Pai, estou com muita raiva. O Juca não deveria ter feito aquilo comigo. Desejo tudo de ruim para ele.
Seu pai, um homem simples mas cheio de sabedoria, escuta calmamente o filho que continua a reclamar:
- O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Não aceito. Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir à escola. O pai escuta tudo calado enquanto caminha até um abrigo onde guardava um saco cheio de carvão. Levou o saco até o fundo do quintal e o menino o acompanhou, calado. Zeca vê o saco ser aberto e antes mesmo que ele pudesse fazer uma pergunta, o pai lhe propõe algo:
- Filho, faz de conta que aquela camisa branquinha que está secando no varal é o seu amiguinho Juca e cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu, endereçado a ele. Quero que você jogue todo o carvão do saco na camisa, até o último pedaço. Depois eu volto para ver como ficou.
O menino achou que seria uma brincadeira divertida e passou mãos à obra. O varal com a camisa estava longe do menino e poucos pedaços acertavam o alvo. Uma hora se passou e o menino terminou a tarefa. O pai que espiava tudo de longe, se aproxima do menino e lhe pergunta:
- Filho como está se sentindo agora?
- Estou cansado mas estou alegre porque acertei muitos pedaços de carvão na camisa.
O pai olha para o menino, que fica sem entender a razão daquela brincadeira, e carinhoso lhe fala:
- Venha comigo até o meu quarto, quero lhe mostrar uma coisa.
O filho acompanha o pai até o quarto e é colocado na frente de um grande espelho onde pode ver seu corpo todo. Que susto! Zeca só conseguia enxergar seus dentes e os olhinhos. O pai, então lhe diz ternamente:
- Filho, você viu que a camisa quase não se sujou; mas, olhe só para você. O mal que desejamos ou fazemos aos outros é como o que lhe aconteceu. Por mais que possamos atrapalhar a vida de alguém com nossos pensamentos, a borra, os resíduos, a fuligem ficam sempre em nós mesmos.
Cuidado com seus pensamentos, eles se transformam em palavras;

Cuidado com suas palavras, elas se transformam em ações;
Cuidado com suas ações, elas se transformam em hábitos;
Cuidado com seus hábitos, eles moldam o seu caráter;
Cuidado com seu caráter, ele controla o seu destino."



Encontrei esta pequena historinha aqui na net e amei a sabedoria do pai ao usar a analogia com o carvão para explicar a lei do retorno. Tudo o que você faz nesta vida, em um certo momento voltará para você. Tantas vezes nos prendemos à "mágoa" e ficamos remoendo "ódio", sem nos dar conta de como nos faz mal!!! Essa foi uma lição duríssima que aprendi através de muito sofrimento... Toda vez que fazemos, ou apenas desejamos, o mal à alguém este mal volta, e geralmente com uma força muito maior. Por isso cheguei a conclusão que perdoar é divino!

12 comentários:

Ana Domingos disse...

Muito legal seu blog...vou adiciona-lo no meus favoritos.ok? abraço!
Ana

Anônimo disse...

Estou com a Ana Domingos: - Muito legal seu blog...vou adiciona-lo no meus favoritos.ok? abraço!
Robson Souza

cris disse...

Robson,
Agradeço sua visita!
Será que vc pode deixar o link para o seu blog... Gostaria de vistar sua página.
Fique com Deus!

PARA REFLETIR (VERINHA) disse...

Adorei a mensagem. Acredito muito nisso. parabêns pelo blog, está ótimo.

Elen disse...

Amei o texto,até copiei e o enviei p alguns amigos e recebi respostas mto significativas.Parabéns seu blog é iluminado.Que Deus continue abençoando sua vida,c paz,saude e mto sucesso.Boa sorte!!!

Elen disse...

Amei o texto,até copiei e o enviei p alguns amigos e recebi respostas mto significativas.Parabéns seu blog é iluminado.Que Deus continue abençoando sua vida,c paz,saude e mto sucesso.Boa sorte!!!

Cris Marques disse...

Elen, agradeço sua visita...

Fique com Deus!

Carlos Roberto de Oliveira disse...

Cris:

Gostei muito do seu blog e o estou seguindo a partir de hoje.

Linda postagem! Ela tem tudo a ver com a máxima das máximas que poucos respeitam: "a semeadura é livre, mas a colheita obrigatória".

Quem me enviou o texto, por email, foi uma amiga chamada Andreia Cristina. Vou publicá-lo no meu blog, o Dando Pitacos, com uma referência ao seu "Nada acontece por acaso..."

Um abração...

Anônimo disse...

Amiga, amei seu blog. Você tem muito talento. Ás vezes agente não acha toda essa sabedoria na gente mas sempre encontra nos outros. Você é essa pessoa!!!!

aparecida ferreira disse...

Gostei muito do que li!!
Estou num momento bem delicado em minha vida, e com certeza preciso muito de luz e paz interior...comecei por aqui!
Grata por seu blog, e pode ter certeza que vou visita-lo mais vezes!
Aparecida ferreira

Cris Marques disse...

Aparecida!

Tenha em mente que não há noite tão longa que não encontre o dia. Força! Os contratempos que surgem em nosso caminho tornam-se pequenos a medida em que nos distanciamos dele. Portanto, não foque no problema, mas na solução.
Agradeço sua visita!
Fique com Deus!

Anônimo disse...

o problema dessa lei do retorno,é que eu posso fazer mal a alguém e falar que eu estou fazendo esse mal,pois a pessoa fez mal anteriormente,que o mal estaria apenas retornando para ela